Tagine de vitela e tomate


Sei que o calor aperta e tudo o que menos apetece é ficar em casa a cozinhar quase duas horas, mas se forem pessoas que gostam de uma boa carne tenrinha e cheia de sabor... Fiquem por aqui, apontem esta receita para um domingo e aposto que vão adorar.

Comprei esta vitela para fazer este prato, mas a falta de cogumelos frescos e do creme fraîche, fez-me mudar de ideias e agarrar na tagine que me ajudou bastante na execução. Seleccionei os poucos legumes que tinha em casa e cozinhei a carne lentamente, juntei-lhe o sabor das minhas especiarias preferidas e um aroma fabuloso invadiu a cozinha. Podem alterar as especiarias para as que preferirem, sem regras, já sabem que eu no que toca a especiarias não sou extremista.

Fica um prato com um sabor muito intenso, quero repetir com toda a certeza na época dos tomates, ficará mais saboroso mas talvez não tão intenso. Acompanhei com um couscous simples que acabou por cozinhar em água fria, enquanto a vitela cozia.

Que a vossa semana seja como este prato, cheia de cor e sabor.


Tagine da Le creuset

Ingredientes: (4 pessoas)
500g de vitela (cortada em pequenos cubos) 
5 colheres de sopa de azeite
1 alho francês
2 dentes de alho
1 cebola
2 tomates maduros
1/2 pimento vermelho
1 limão preservado pequeno
1 colher de café de ras el hanaut
1 colher de café de tagine
1 colher de café de gengibre em pó
1 colher de café de harissa em pó
1 colher de café de paprika doce
200ml de polpa de tomate
200ml de água
1 colher de sopa de açúcar mascavado
flor de sal fumado picante Salviking q.b.
250g de couscous grão médio

Numa tagine ou numa panela anti-aderente em lume alto, adicione o azeite, o alho e a cebola picada, deixe refogar um pouco sem deixar de mexer. De seguida adicione o alho francês às rodelas e o pimento picado em pequenos pedaços e deixe refogar mais uns 3 minutos. Adicione os tomates sem pele e cortados em pequenos cubos e o limão preservado (caso não tenha, ignore esta parte e regue com sumo de meio limão antes de servir) e deixe cozinhar mais uns 2/3 minutos.

Por cima coloque a carne, cortada em cubos e polvilhe com as especiarias a gosto e a flor de sal, deixe cozinhar uns 5 minutos e regue com a polpa de tomate e a água (até cobrir a carne), tape a tagine e deixe cozinhar pelo menos durante 1 hora em lume brando. A meio da cozedura, adicione o açúcar e mexa quando achar necessário. 

Entretanto prepare o couscous, existem várias maneiras de o fazer. A vapor, ou simplesmente com água fria, como fiz desta vez.


Enquanto espera a carne ficar pronta, coloque o couscous numa tigela alta, com água até cobrir o couscous, adicione sal, um fio de azeite e deixei repousar até o couscous absorver toda a água por completo. O couscous vai ficar um pouco cru, caso necessário, volte a fazer o mesmo processo depois de mexer com um garfo para o soltar. Ou então uns 5 minutos antes de desligar a tagine, abra um buraco num dos lados e coloque o couscous dentro da tagine com a tampa fechada até desligar por completo. 

A carne vai ficar tenrinha, e bem suculenta e o couscous vai absorver o perfume das especiarias, uma maravilha acreditem. Acompanhe com água aromatizada com maçã e menta fresca.


Salada de Primavera



Já há largos anos que a minha Páscoa é passada no norte de Portugal, os meus sogros deixam a bela França e fazem questão de vir passar a Páscoa à terra que os viu nascer, por consequência nós acabamos por passar lá também. Este ano, ao contrário dos anos anteriores, deixamos a lareira apagada e aproveitamos o sol,  que ajudou bastante ao passeio.

Confesso que não sou muito dada a folares e a bolos doces usados nesta altura do ano, quando penso na Páscoa vem-me logo à cabeça, uma bôla de carne que a minha sogra compra numa terriola lá perto que é maravilhosa e quase nunca chega ao domingo de Páscoa. Compro sempre uma extra para trazer à minha mãe, acompanhada com o famoso bolo de azeite, que é uma espécie de um pão muito leve, de cor bem amarela e com um aroma fantástico a azeite (vejam no meu Instagram do que falo).


Hoje para compensar os estragos que fiz no fim-de-semana, trago uma saladinha bem leve com alguns legumes da época e um molho de queijo Quark muito saboroso.

Mais uma vez, gostaria de agradecer à loja DeBorla por todos os utensílios utilizados neste post, estou especialmente fan do cortador de legumes.


Ingredientes:
100g de alface icerberg
1 cenoura
15 raminhos de agrião (folhas)
1/3 de funcho (raiz)
1/3 de nabo (usei do comprido)
1 rábano
150g de tomate cereja 
2 colheres de sopa de sementes de abóbora
2 talos de groselha

Molho de queijo:
1 colher de sopa de queijo Quark (ou outro queijo creme a gosto)
1 colher de sopa de azeite
1 colher de chá de mostarda Dijon
1 colher de sopa de vinagre de maçã
2 colheres de chá de geleia de pimento D'espelette (ou outra geleia a gosto)
4 colheres de sopa de água
flor de sal (da Figueira da Foz) e mostarda em grão.

Comece por preparar os legumes, corte a salada grosseiramente com as mãos, para os agriões use apenas o talo mais fino e as folhas. A cenoura, o nabo e o funcho corte com o cortador de legumes a gosto. Os tomates corte ao meio e a groselha use inteira.


As sementes de abóbora, coloque-as numa frigideira anti aderente e saltei em ambos dos lados até ficarem crocantes. Acreditem que ficam maravilhosas, parece que ganham ar dentro e ficam muito crocantes, tal como as batatas fritas.

Para o molho, numa tigela funda e com uma vara de arames das pequenas adicione o queijo, o azeite e o vinagre e mexa até se incorporarem bem. De seguida, junte a mostarda, a geleia e mexa novamente. Por fim, a água e o tempero a gosto e mexa até ficar com a consistência de um molho de iogurte. Verta em cima da salada e sirva acompanhar um peixe ou uma carne grelhada.


Merengues de cacau e framboesa

Adoro açúcar, mas adoro mesmo. Tanto que quando era pequena substituía uma fatia de fiambre ou queijo por um bocadinho de açúcar por cima da minha sandes de manteiga ao lanche, eu sei que isto para alguns pode parecer horrível, mas não é acreditem. Ainda há semanas voltei a testar (só para vir aqui escrever este post como é lógico:) e comprovo que com açúcar mascavado o nível se eleva bastante :). Se o açúcar não fosse tão prejudicial para a saúde, confesso que não vivia sem ele todo o santo dia, mas como a vida não é perfeita, temos de fazer opções e cortar aqui e ali para tentarmos viver uma vida mais saudável.

Depois existem os Natais, os aniversários e as Páscoas onde podemos exagerar um pouco mais, como é o caso desta semana.

Hoje a receita é para celebrar a semana da Páscoa, esqueçam as dietas, as cáries, os detox e façam esta pequena maravilha, que eu tenho a certeza que vos vai fazer felizes.


Esta é mais uma receita do novo livro da Mimi Thorisson, com esta, já são três as receitas que publiquei no blog (aqui e aqui), e continuo achar um dos melhores livros que comprei nos últimos tempos, as receitas são fantásticas e é de longe o tipo de comida que eu adoro fazer.

Nesta receita fiz uma pequena alteração, os merengues foram feitos exactamente da maneira que a Mimi descreve no livro, apenas substitui a cobertura de chocolate por um molho de framboesa e um bocadinho de iogurte natural, e achei que combinou muito bem. Coloquei o molho de framboesa na mesa e deixei ao critério de cada um usar ou não, alguns preferiram apenas o merengue. O interior destes merengues são uma maravilha, é como se tivéssemos a comer um suspiro crocante por fora mas por dentro é húmido e maravilhoso.

Desejo a todos que por aqui passam, uma Páscoa feliz.


Ingredientes: (6 pessoas)
6 claras de ovos L, à temperatura ambiente
1 pitada de sal fino
1 colher de sopa de maizena
330g de açúcar granulado branco
2 colheres de sopa de cacau royal

Cobertura:
100g de framboesas (usei congeladas)
2 colheres de sopa de açúcar mascavado
1 iogurte grego natural

Pré-aqueça o forno a 135º e prepare um tabuleiro com papel vegetal ou silicone.

Numa batedeira (muito bem limpa de qualquer gordura), coloque as claras e bata na potência média até atingir picos médios. De seguida junte o sal e bata mais um pouco, adicione a maizena e de seguida o açúcar - alternando 2 colheres de cada vez, até o açúcar acabar, e continue a bater até ficarem bem cremosas e brilhantes. Um truque do Jamie Oliver é esfregar as claras entre os dedos, se sentirmos grainhas. bater mais uns 7 a 8 minutos até ficarem sem qualquer grainha.

Desligue a batedeira e com uma colher de pau ou colher de silicone, envolva o cacau muito ligeiramente para que ele fique com o efeito "mármore" das fotos.


Rende 6 merengues por isso, forme pequenos "montes" com cerca de 10 a 12 de largura e 6 cm de altura, e crie pequenas ondas com ajuda de uma colher. Polvilhe com mais um pouco de cacau em pó.

Leve ao forno durante 1 hora, desligue o forno e deixe os merengues ainda lá dentro com a porta entreaberta por mais uns 15minutos. Retire do forno e deixe arrefecer por completo numa rede.

Para a cobertura, coloque as framboesas num tacho em lume brando com 2 colheres de sopa de açúcar mascavado e deixe levantar fervura. Baixe o lume e deixe cozinhar por 5 minutos se usar framboesas frestas e 8 minutos se usar congeladas. Retire do lume e com a varinha mágica ou Bimby,  passe tudo muito bem.

Sirva ainda morno por cima dos merengues, com uma colher de sopa de iogurte grego natural ou uma bola de gelado de nata 



Espetadas de frango e abacaxi com couscous de espinafres

A primavera começou devagarinho, no domingo choveu bastante na margem sul, ontem esteve um sol espectacular por Lisboa, até que ela se decida se vem ou não para ficar, trago uma receita mais colorida que o habitual para nos irmos ambientando ao bom tempo que em breve chegará.

Há dias comprei um abacaxi e achei que mais uns 3 dias na fruteira ia directo para o lixo, tenho sempre uma grande dificuldade em comprar abacaxi, ou está demasiado verde ou quase bom... mas uns dias na fruteira dá cabo dele. Não tenho hábito de o congelar por isso, lembrei-me de fazer estas espetadas para recordar os dias de verão. 

Infelizmente esqueci-me de fotografar o molho de iogurte e hortelã que fiz para as espetadas. É o que dá ter como ajudante fotográfico alguém que está sempre com alguma pressa de comer. Mas caso recriem esta receita, façam-no que fica muito bom.


Ingredientes: (2 pessoas)
Grelha grill redonda  da Le creuset

Espetadas: (6 unidades)
2 fatias de abacaxi (quadrados de 3 cm)
2 peitos de frango sem pele e osso
2 colheres de especiarias da paella
flor de sal fumado Salviking q.b.
1 fio de azeite

Couscous:
250g de couscous (grão médio)
100g de espinafres em folha
25g de coentros frescos (1/2 molho)
2 dentes de alho
350ml de água a ferver (adicionada por 3 vezes)
flor de sal fumado Salviking q.b.
Pimenta e mostarda em grão moída na hora q.b.
1 fio de azeite

Frutos secos com especiarias:
2 colheres de sopa de amendoim sem sal
2 colheres de sopa de caju sem sal
1 colher de café de gengibre em pó
1 colher de café de coentros em pó

Molho de iogurte e hortelã:
1 iogurte grego natural
1 colher de sopa cheia de hortelã picada (fresca)
1/2 colher de sopa de sumo de limão
1/2 colher de sopa de mel
flor de sal fumado Salviking q.b.
pimenta q.b.


Uns 20 minutos antes:
Comece pelas espetadas, corte os peitos de frango em cubos, coloque num pirex juntamente com as especiarias e um fio de azeite e deixe a marinar.

Corte o abacaxi em cubos (com tamanho aproximado ao frango) e forme a espetada alternando o frango com o abacaxi, grelhe numa grill anti-aderente de todos os lados.

Os frutos secos, basta colocarem ao lume numa frigideira anti-aderente com as especiarias e deixar tostar ligeiramente, sem deixar torrar e reserve.

Para o couscous, numa panela coloque um fio de azeite, os dentes de alho, as folhas dos espinafres e refogue tudo 1 minuto. Transfira para uma liquidificadora - quem tiver uma Bimby faça logo tudo lá e junte os coentros e a água a ferver. Triture tudo muito bem até que fique uma espécie de sumo bem liquido, coe para que alguns dos fios dos coentros sejam separados e tempere com flor de sal, pimenta e mostarda em grão moída.


Numa tigela larga coloque e divida o sumo em 3 partes. Regue o couscous com a primeira parte, tape a tigela, espere uns 3 minutos e assim que o sumo seja absorvido pelo couscous, mexa delicadamente com um garfo e adicione a segunda parte. Espere novamente 3 minutos, volte a mexer com o garfo, prove, caso esteja cozido, ignore a terceira parte de sumo. O tempo de cozedura vai depender muito da temperatura do sumo de espinafres, por isso é que eu achei melhor dividir em três, para evitar que o couscous fique demasiado cozido. Também vai depender um pouco, do tipo de grão de couscous que estão a usar e se tapam ou não muito bem a tigela. O ideal é estarem de "olho" enquanto o processo todo.

Para o molho de iogurte, coloque as folhas de hortelã já grosseiramente picadas num almofariz, com o sumo de limão e esmague tudo muito bem para que as folhas fiquem em liquido. Adicione ao iogurte e envolva, para que o iogurte fique o mais liquido possível, tempere a gosto e sirva por cima das espetadas ainda quentes.

Eu ainda temperei um abacate com flor de sal e um fio de azeite.


Risotto de vieiras e limão






Adoro risottos, penso que nunca comi um que não gostasse, seja de que for. O primeiro risotto que fiz para o blog, foi uma receita do Jamie Oliver - um risotto de camarão, onde o Jamie substituía o queijo parmesão, por sumo de um limão. Reparo agora, que passados estes anos nunca mais me tinha lembrado de fazer esta substituição. Mas há dias, olhei para o congelador e encontrei estas vieiras pequeninas que tinha trazido das férias e lembrei-me deste post velhinho. O limão faz toda a diferença, dá um sabor muito fresco ao risotto, e com marisco esta substituição é fabulosa, experimentem.

Uma boa semana para todos!




Ingredientes: (4 pessoas)
1/2 aipo
3 alhos
azeite
250g de vieiras (usei das pequenas congeladas)
cerveja q.b.
1 colher de sopa de margarina (usei liquida Vaqueiro)
Coentros q.b.
sumo de 1/2 limão grande

Caldo:
raspa de 1 limão
1 litro de água
1/2 talo de aipo 
1 colher de chá de sementes de coentros
1 pitada de flor de sal de limão
5 talos de coentros
1 cebola partida em 4
2 dentes de alho inteiros (sem casca)
1 fio de azeite

20 minutos antes de começar o risotto, prepare o caldo. 
Coloque a água ao lume com todos os ingredientes e deixe ferver. Depois ferver uns 10 minutos coloque em lume mínimo e mantenha assim até finalizar o risotto.

Num tacho comece por colocar um fio de azeite, os alhos picados e o aipo partido em pedaços pequenos. Deixe refogar um pouco e logo de seguida adicione o arroz, deixe "fritar" um minuto, sem deixar de mexer e adicione a cerveja a gosto. Deixe evaporar o álcool da cerveja e deite uma concha do caldo, mexa mais um pouco, deixe evaporar a água e junte outra concha de caldo, assim sucessivamente até o arroz estar cozido e bastante cremoso. Uns 5 minutos antes de desligar, adicione as vieiras, mexa suavemente para não as esmagar e não as deixe cozer demasiado. 


Verifique o sal e para que fique ainda mais cremoso, adicione a manteiga liquida, mexa delicadamente e sirva imediato, sem esquecer do sumo de limão por cima, as raspas do mesmo (se 
gostar) e um molho generoso de coentros .