Um piquenique diferente


Hoje não trago uma receita, trago antes, uma sugestão para um piquenique diferente do habitual. Cresci a fazer piqueniques, nesta altura do ano era raro o domingo que não juntávamos a família mais próxima e lá íamos nós fazer um piquenique. O meu pai, tratava da carne ou do peixe, para grelhar lá mesmo no local. A minha mãe fazia um tacho enorme de arroz de cenoura e ervilhas,  eu fazia uma salada gigante para acompanhar. Eram sempre umas tardes bem passadas, com jogos de futebol e de cartas que duravam horas.

Os piqueniques agora já são mais raros, mas quando os há, o menu varia um pouco. As tarefas continuam a ser divididas, os pacotes de batatas fritas são substituídos por mais uma saladinha diferente, a fruta continua sempre a ser a sobremesa principal e as tardes de jogos de cartas, muitas das vezes acabam por ser uma ida à praia.

Hoje e com ajuda do supermercado Brio preparei um menu completo para um piquenique, uma refeição leve, vegetariana e inteiramente biológica. Todos os ingredientes usados nesta refeição, podem ser encontrados em qualquer uma das lojas Brio. Cada vez que lá vou, nunca saio de saco vazio, dêem uma espreitadela no facebook e podem ver um pouco do que por lá se passa.

Para mais ideias e receitas fantásticas para piqueniques, vejam no mais recente livro da Isabel Zibaia Rafael (Laranjinha) que é óptimo e serviu de inspiração para este post.



Salada de cevada
160g de cevada
1 fio de azeite
10/15 azeitonas com pimento e sem caroço
1 couve rábano 
2 raminhos de beldroegas frescas
flor de sal de tomate seco e oregãos q.b.
pimenta e mostarda de moer

Comecei por confeccionar a salada em primeiro lugar, apenas porque, a cevada leva um pouco mais de tempo a cozer, mas enquanto ela coze, podem ir seguindo com as restantes receitas, porque esta salada deve ser servida fria.

Coloque a cevada a cozer, com um pouco de flor de sal e um fio de azeite. A minha levou aproximadamente 40 minutos a cozer em lume médio.

Depois de cozida, deixe escorrer bem e se necessário passe com água corrente.

Coloque num recipiente de fácil transporte, e comece por temperar com um fio de azeite, a pimenta e a mostarda em grão moídas na hora, junte as azeitonas coradas grosseiramente e o rábano cortado em lascas finas, adicione as beldroegas frescas e mexa tudo com as mãos.

Reserve no frigorifico.


Batata-doce com especiarias:
2 batatas-doce
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de açafrão das Índias
1/2 colher de sopa de coentros em pó
1 colher de chá de paprika
1 colher de sopa de sementes de sésamo pretas
flor de sal de tomate seco e oregãos q.b.

Retire a casca às batatas e corte em palitos grosseiros. Num almofariz, coloque as especiarias (excepto as sementes de sésamo), o sal e misture bem, adicione 1 colher de sopa do azeite no final e volte a misturar.

Num tabuleiro próprio para forno, coloque a outra colher de sopa de azeite e as batatas. De seguida adicione a pasta das especiarias e misture tudo muito bem com as mãos. Sinta que todas os palitos estão untados com o tempero e por fim, adicione as sementes de sésamo. Leve o tabuleiro ao forno a 180º, durante 30 minutos e no final ligue o grill (ou a resistência superior) mais uns 10 minutos. (Controle o forno, porque cada forno é diferente e as batatas podem queimar).

Retire do tabuleiro e deixe arrefecer numa rede.


Enquanto as batatas estão no forno, comece a fazer as almôndegas de quinoa para estas aproveitarem o forno ainda quente.

Almôndegas de quinoa
150g de quinoa vermelha
3 dentes de alho
3 ovos
3 colheres de sopa de sementes de sésamo tostadas
2 colheres de sopa de farinha de quinoa
1 colher de sopa de xarope de quinoa ou mel
flor de sal de tomate seco e orégãos q.b.
pimenta e mostarda de moer q.b.

Comece por cozer a quinoa com água, um fio de azeite e a flor de sal.

Depois de cozida, deixe escorrer toda a água.

Num recipiente, comece por coloque metade da quinoa e vá acrescentando os ovos batidos à parte, junte a farinha e a restante quinoa e 1 colher de sementes de sésamo. Tempere com o xarope de quinoa, e com as mãos faça uma espécie de pasta moldável. Caso necessite, adicione mais farinha ou um pouco de leite se tiver demasiado seco.

Forme pequenas bolas e depois de feitas passe por mais umas sementes de sésamo previamente tostadas, coloque num tabuleiro untado com azeite ou com uma folha de papel vegetal.

Leve ao forno a 180º durante 15/20 minutos ou até ficarem bem douradinhas.


Molho para as almôndegas + batatas:
2 colheres de sopa de Fromage blanc
1 colher de chá de paprika doce
2 colheres de sopa de xarope de quinoa ou qualquer adoçante.



Mexa todos os ingredientes muito bem com uma vara de arame, e coloque no frigorífico até colocar na geleia que irá levar para o piquenique, convém servir o molho bem fresco.




Água de romã e coco:
2 romãs
1000ml de água de coco (usei  2 pacotes)
Adoçante natural (xarope de quinoa) 

Num espremedor próprio para laranjas, esprema as romãs como se de laranjas se tratassem. Retire o sumo e numa jarra adicione com a água de coco,  caso sinta que está pouco doce, adicione um xarope natural (eu não usei nada).

Reserve no frigorífico, antes de retirar, adicione umas pedras de gelo para se aguentar na viagem.



Tortilha:
200g de espinafres
4 ovos 
125ml de leite 
1 cebolinha com rama
2 dentes de alho
azeite q.b.
flor de sal de tomate seco e orégãos qb.
pimenta e mostarda de moer

Coloque as folhas dos espinafres numa liquidificadora ou robot de cozinha, com o leite. Bata os ovos, numa batedeira ou com uma vara de arames, até duplicarem o tamanho. Numa frigideira alta coloque, um fio de azeite e deixe aquecer, de seguida, o alho e a cebolinha (tb com a rama) e saltei tudo uns 3 minutos, adicione o puré dos espinafres e saltei durante uns 5 minutos sem deixar de mexer, deixe evaporar um pouco da água que tinham os espinafres. 

Tempere os ovos e regue os espinafres, deixe cozinhar um pouco a base da tortilha, com cuidado, vire com ajuda de um prato e coloque a outra fase da tortilha. Desligue quando estiver bem cozinhada e reserve no cesto do piquenique.


Salada de meloa
1 meloa
1 tangerina
folhas frescas de menta

Por fim a sobremesa, tenho por hábito levar um melão ou melancia inteira para os piqueniques, e comer acabadinha de cortar. Mas desta vez, decidi cortar a meloa em pequenos círculos para ficar mais apelativa, junte a tangerina em gomos e umas folhas de menta fresca, para aromatizar.

E já está, bom piquenique e desfrutem da natureza.


Um muito obrigada, ao Brio, por me ter dado esta oportunidade de criar um piquenique diferente do que estou habituada a fazer.

Crumble de cerejas, framboesas e quinoa preta





Da horta dos meus sogros, chegaram uma quantidade generosa de cerejas e framboesas, antes de congelar algumas, ainda tive tempo de fazer esta sobremesa para eles, como agradecimento das coisinhas boas que me trazem sempre da sua quinta.

Em tempos numa conversa com esta menina, disse-me que usava quinoa na granola e que ficava muito bom, desde então, sempre que faço granola lá vai a quinoa para dentro. Adoro o crocante que dá em contraste com a aveia. Se nunca usaram, aconselho a provarem que é fantástico. Nesta receita, usei a quinoa preta que deu um toque bastante mais dramático ao crumble, para quem me conhece já sabe,  drama é comigo :)

Para acompanhar este crumble, usei gelado da Carte D'Or sabor Vanilla Pecan. Depois do workshop que tive da Carte D'Or a convite da chef Mafalda Pinto Leite na Academia de sabores da Vaqueiro, estes gelados têm desaparecido estranhamente cá de casa e a uma velocidade brutal... Juro, que nada tenho a ver com isso, é que viver com uma pessoa muito gulosa, dá nisto!



Espero que gostem do resultado final, nós por cá adorámos.

Ingredientes: (8 pessoas)
300g de framboesas
300g de cerejas (pesei sem caroço)
50g de açúcar mascavado (escuro)
100g de avelãs
300g de flocos de aveia
50g de quinoa (usei preta)
100g de manteiga Vaqueiro
10 colheres de sopa de açúcar mascavado (escuro)
1 fio de mel 

Gelado:
Usei gelado Carte D'Or  sabor Vanilla Pecan

Comece por colocar uma panela ao lume com as cerejas sem caroço e o açúcar, e em lume branco deixe levantar fervura e vá esmagando com um garfo as cerejas para que fiquem mais desfeitas, deixe cozinhar uns 5 minutos e adicione as framboesas, deixe ferver mais uns 3 minutos e retire do lume.


Coloque a fruta num pirex, próprio para forno e reserve.

Numa batedeira/ou com as mãos e numa taça grande coloque, a manteiga em cubos, juntamente com os restantes ingredientes: açúcar, aveia, e a quinoa. Incorpore tudo muito bem, até sentir uma massa bem unida, uma espécie de areia molhada.

Coloque esse preparado por cima da fruta, mexa tudo com ajuda das mãos, para que a fruta venha um pouco ao de cima e finalize com umas cerejas (com caroço).


Leve ao forno 30 minutos a 200º. 10 minutos antes de desligar o forno, rege o crumble com um fio de mel/agave ou um syrup e leve ao forno até os 30 minutos.


Sirva quente com um gelado e mais umas cerejas frescas.


Mais uma vez, um muito obrigada à  Carte D'Or e à Mafalda Pinto Leite, pela simpatia e pelo final de tarde bem passado.




Salmão no forno com mel e manjericão roxo


O manjericão tem sido o rei nestas ultimas semanas cá em casa, as sementes que vieram do sul de frança no ano passado estão a dar muito bem e para além de ter feito algumas receitas, ainda fiz uma espécie de pesto bem leve para congelar (e matar saudades durante ano). 

Adoro este manjericão, é muito mais leve do que o verde, mas ao mesmo tempo acho-o um pouco mais (fumado). Adorei a combinação entre o manjericão e o mel, fica fantástico com salmão.


Aqui vai a receita e votos que o sol apareça de vez.

Ingredientes: 2 pessoas
1 posta de salmão (duas pessoas)
4 talos de manjericão roxo
1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa de azeite
sal, pimenta e mostarda em grão

30 min no forno a 180º

Grão rápido de caril:
1 lata de grão
2 alhos
1 fio de azeite
1 colher de chá de caril caseiro
1 colher de sopa de água
sal (eu não usei)

Comece por colocar num almofariz, as folhas do manjericão e esmague até ficar uma pasta, de seguida adicione o mel, o azeite e incorpore à pasta de manjericão. Unte a pasta à posta de salmão e deixe a marinar por 30 minutos.


Pré-aqueça o forno a 180º.

Num tabuleiro próprio para o forno, coloque a pasta do salmão previamente marinada, tempere com sal, pimenta de moer, mostarda de moer e leve ao forno, aproximadamente durante 35 minutos (ou até o salmão estar bem cozido).


Enquanto espera prepare o grão, lave bem o grão e deixe a escorrer para retirar o excesso de água. Numa wok, coloque os alhos picados com um fio de azeite e deixe saltear durante um minuto, adicione as colheres de caril e deixe que as especiarias larguem um pouco do seu aroma (cuidado não deixar torrar), coloquem o grão e sem parar de mexer salteiem para que este absorva bem o pó de caril. Caso sinta que está demasiado seco, deite uma ou duas colheres de sopa de água, para não agarrar.

Sirva com uns gomos de limão.

Bolachas de tomate e orégãos e paprika

A culpa deste post é do Instagram, pois é...  Há umas semanas atrás, a Manuela postou no seu Instagram uma imagem de umas bolachinhas salgadas que me deixarem a salivar. Logo me respondeu, que iria por a receita no seu blog para breve... Assim que vi a receita online, não descansei enquanto não as provei.



Aqui está a receita, para quem como eu, gosta de bolachas salgadas com um toque especial. Estas são uma boa opção, adoro a combinação entre a paprika e o tomate, fica mesmo perfeito acreditem.


Obrigada Manuela pela partilha, são maravilhosas.




Ingredientes: (30 bolachas)

150 g de farinha de Trigo
50 g de margarina cortada aos cubinhos
1 colher de sopa de concentrado de tomate
2 colheres de sopa de água fria
1 colher de chá de orégãos
1 colher de chá mal cheia de paprika (eu usei 2 cheias:)
1 colher de café de sal fino

Misture a farinha, o sal, os orégãos e a paprika. Junte a margarina e misture com a farinha até obter uma massa areada, adicione o concentrado de tomate e a água a pouco e pouco até ter obter uma massa moldável.

Forme uma bola e guarde no frigorífico por meia hora.
Estenda a massa com o rolo da massa o mais fino possível, e corte as bolachas com um corta bolachas.
Coloque as bolachas em cima de papel vegetal que possa ir ao forno, e picá-las com um garfo.
Leve ao forno aquecido a 180º durante cerca de 8 a 10 minutos.



Se quiser seguir o conselho da Manuela pode acompanhar com um requeijão, eu confesso que nem consegui chegar a essa fase por que foram mesmo todas sem nada!




Salmorejo com manjericão roxo

Esta é de longe a altura do ano que mais adoro, ainda não está demasiado calor, mas já se consegue sair de manhã sem levar um casaco, adoro esta sensação. Em termos de comida, para mim, é uma das melhores épocas do ano. Temos tanta fruta boa à nossa disposição que as combinações para sumos e gelados são infinitas. Adoro o melão, meloa, melancia, pêssegos, framboesas, nêsperas... é uma altura do ano em que comer fruta, sabe mesmo muito bem. Para além da fruta, o tomate é um dos meus legumes preferidos de todos os tempos. Nesta altura, já se começam a encontrar aqueles tomates meios tostos, biológicos que são tão doces, eu adoro! Não há semana nesta altura do ano em que não faça um salmorejo. É algo que se faz em minutos e é sempre tão fresco, a maior parte das vezes até o acompanho como "sumo" numa refeição ligeira. Para a receita de hoje, escolhi o tomate Kumato. Têm um tom ligeiramente mais escuro, mas o sabor é fantástico, já o tinha usado aqui em tempos. Normalmente, cada vez que vou a Espanha trago sempre um saco cheio comigo, porque já os vi à venda por cá, quase 3 vezes mais caros do que em lá, uma vergonha :(


Ingredientes: (2 pessoas/2 copos)
5 tomates (usei Kumato)
1 dente de alho
5 colheres de sopa de água
2 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto
5 folhas de manjericão roxo
2 fatias de pão (se for pão rico) ou 1 fatia de pão de mistura (pequena)
1 ovo cozido
1 colher de sopa de presunto picado
sal q.b.

Coza o ovo e reservar.

Numa liquidificadora, coloque os tomates (com pele e sementes), o dente de alho, o pão e a água. Ligue a liquificadora numa velocidade alta, até sentir que está tudo picadinho. Adicione o manjericão, o azeite, o vinagre e o sal, passe tudo novamente e caso sinta que está demasiado grosso, adicione um pouco mais de água. Volte a provar e caso necessário adicione mais vinagre ou sal.



Coloque numa jarra e leve ao frigorifico até servir.

Antes de servir, pique o ovo, o presunto e adicione por cima juntamente com mais um fio de azeite e as umas folhinhas de manjericão (eu usei as flores, que nesta altura do ano estão a de florir e são muito bonitas).

Sirva numa tigela e pode ir comer com uma colher como se de uma sopa se tratasse, ou num copo e pode beber como um refresco, como já disse anteriormente, eu gosto mais de beber num copo.



Granizado de limão e erva-cidreira


Ora vamos lá festejar o calor que chegou em força (pelo menos por hoje) Se há coisa que eu gosto no verão são granizados, acho que já não é novidade para ninguém, por isso aqui vai o meu primeiro do ano.

Em meados de abril, deram-me um raminho de erva-cidreira fresca, o tempo ainda não estava grande coisa mas na altura fiz uma limonada para o almoço, como era muita para nós os dois acabou por sobrar e decidi congelar numas cuvetes, para mais tarde fazer um granizado.


Ora aqui está ele, fica um granizado bem fresco e a combinação com o limão e a erva-cidreira é fantástica.

Se não tiverem erva-cidreira acho que hortelã ou manjerição também ficará uma maravilha.


Ingredientes 
1 limão
500ml água
2 talos de erva-cidreira fresca (15 folhinhas)
3 colheres de sopa de agave (podem usar outro tipo de adoçante ou até mesmo açúcar)

Para esta receita necessitam de 1 cuvete para 12 cubos de gelo com tampa.

Numa liquidificadora ou robot de cozinha, coloque o limão cortado em 3 (casca incluída), a erva-cidreira e pressione no botão do turbo umas 5 vezes. Adicione a água e pique tudo durante 1 minuto, coe a limonada e coloque numa jarra. Adoce com o que mais gostar, eu usei agave mas pode colocar açúcar ou mel.

Se quiser podem beber já assim e bebem uma bela limonada, caso contrario coloquem o liquido numa cuvete e leve ao congelador pelo menos umas 4 horas.



Antes de servir, retire as cuvete numa liquidificadora ou robot de cozinha e pique tudo até ficar (neve) como na imagem, sirva com mais um fiozinho de agave por cima e deixem o gelo derreter no copo que é tão bom.

Hmmm que já feiras a férias de verão.


Panquecas de banana, mirtilo e coco


Todas as receitas deste livro são uma maravilha, as imagens falam por si e a combinação de sabores são perfeitas, eu já tinha estas panquecas marcadas há muito tempo, era para as fazer na altura que eles deram o workshop em Lisboa, mas o tempo foi tão apertado que eu e a Inês, atacámos apenas nos iogurtes com granola e na frutinha e mesmo assim conseguimos chegar atrasadas ao primeiro dia do workshop. 

Ficam umas panquecas super fofas e o toque da canela e do coco combinam na perfeição.


Fiz esta "sessão" num dia de manhã antes de ir trabalhar. Lembro-me de comer uma bem rápido e sair a correr atrasadíssima (para variar),  depois mandei uma mensagem ao Marmito (que já tinha saído) a dizer. Há panquecas no frigorífico para o teu lanche! Quando cheguei já na hora do jantar perguntei se tinha sobrado alguma coisa... já devem saber qual a resposta, não é? :) 

Para quem me segue no Instagram pode comprovar que eu hoje tive um pequeno-almoço ligeiramente diferente que este, ou antes, mais à "margem sul" :)

Bom fim de semana

Ingredientes: (2 pessoas)
2 bananas maduras
3 ovos 
40g de coco ralado
100g de mirtilos frescos
1 colher de chá de canela
óleo de coco q.b. 
Golden syrup/mel q.b.
Coco e mirtilos para servir

Esmague as bananas com um garfo. Coloque as bananas numa tigela e junte os ovos batidos e o coco ralado. Bata tudo muito bem e junte os mirtilos suavemente à massa.

Numa frigideira (anti-aderente), aqueça um pouco de óleo de coco e coloque 3 colheres de sopa da massa por cada panqueca (ou uma concha da sopa).


Deixe cozinhar bem de um lado (até começar a ver pequenas bolas), vire com muito cuidado e com ajuda de uma espátula e deixe cozinhar do outro lado, repita o processo até a massa acabar.

Sirva com o golden syrup, uns mirtilos frescos e o coco por cima.  


Tortas de aceite - Biscoitos de azeite Espanhóis

Lá vou eu bater novamente na mesma tecla, Jamie, Jamie... Eu sei que já me torno aborrecida mas não consigo evitar, é mais forte do que eu, acreditem!

Hoje trago uns biscoitos que provavelmente muitos de vocês desconhecem. Alguns anos atrás numa das minhas infinitas idas a Sevilha, enquanto dava um passeio, encontrei uma pastelaria toda catita e descobri estes biscoitos. Fiquei completamente rendida ao crocante e ao perfume a azeite destas pequenas maravilhas tanto, que cada vez que lá vou trago sempre um pacote para nós e para a minha mãe. 

São umas bolachinhas com um toque a anis e super estaladiças, nesta receita não usei anis e nem sementes de sesamo como eles costumam usar, mas acreditem que o sabor está muito aproximado ao original.  Usei antes umas sementes de aneto que comprei num supermercado Indiano, no entanto o Jamie na receita original usa sementes de funcho (eu confesso que enjoei).

Retirei esta receita do que para mim é o melhor livro do Jamie Oliver, o Jamie does.. Por cá não há tradução do livro, mas houve o programa de televisão que era fantástico. Dá uma vontade de partir à descoberta de todos os países que ele nos mostra, eu confesso que já fiz férias muito às custas deste livro. 

Esta receita como o nome indica foi retirada da secção de Espanha, tinha-a marcado há muito tempo, hoje é o dia de a mostrar a todos vocês. Por isso, se quiserem viajar comigo até à bonita Espanha, sigam esta receita sem sair da vossa cozinha e vão sentir o que eu estou a dizer.


Ingredientes: 12 biscoitos

300g de farinha sem fermento
1 colher de chá de sal
2 colheres de chá de funcho (usei aneto)
100ml de azeite extra virgem
150ml de água (quente)
3 colheres de sopa de açúcar mascavado (usei cristais)
(7g) 1 pacote de fermento para pão 
1 clara de ovo

Pré aqueça o forno a 230º. 

Misture a farinha, o sal e as sementes de aneto numa taça. 


Em outra taça, adicione os 100 ml de azeite com, os 150ml de água morna, o açúcar, o sal e o fermento. Mexa até o açúcar derreter e reserve por uns minutos.

Faça um pequeno buraco no centro da farinha e suavemente vá adicionando a mistura do azeite. Com a ajuda de um garfo, misture de fora para dentro até interligar tudo muito bem,  quando sentir que já está ligado use as mãos até a massa ficar fofa.


Unte 2 tabuleiros com azeite, e salpique com mais um pouco de açúcar.

Numa bancada adicione com um pouco de farinha, divida a massa em 12 partes iguais. Dessas partes faça pequenas bolas e com ajuda do rolo da massa, estique os pequenos círculos até atingirem cerca de 10 cm de diâmetro - eu fiz os meus a olho, adoro o aspecto rústico nestes biscoitos.


Coloque os 12 biscoitos nos tabuleiros, previamente untados com azeite e açúcar, um a um pincele com clara de ovo a superfície e finalize com mais um pouco de açúcar. 

Leve ao forno por 10/12 minutos ou até ficarem dourados e estaladiços.

Retire do tabuleiro, deixe arrefecer  numa rede e Happy days!


Lasanha de courgette e presunto

Há dias lembrei-me que não fazia uma lasanha há muito tempo, talvez há anos. Lembro-me de quando comecei a viver com o Marmito era um dos pratos que mais adorávamos fazer e comer. Anos depois e uns quilos também, a lasanha acabou por ser "forçadamente" esquecida cá por casa.  Se comemos, ou é na casa de amigos ou em algum restaurante. 



Mas a saudade bateu mais forte e no fim de semana passado queria fazer uma. Olhei para o frigorífico, vi umas courgettes e umas fatias de um presunto óptimo que tinha comprado. Enquanto a montava pensei.. deixa-me cá tirar umas fotografias que se for bom vai para a minha Marmita. Aqui está a prova em como ficou muito boa e mais saudável que a tradicional e muito fácil de fazer.



Ingredientes: 2 pessoas
2 courgettes
150g de presunto Serrano
azeite q.b.
Pimenta e mostarda em grão moída
1 colher de sopa de cebolinho fresco picado

Molho bechamel leve:
200 ml leite meio gordo
casca de 1/2 limão
1\4 colher de sopa de mostarda Dijon ou L'Ancienne
noz-moscada ralada
sal q.b.
1 colher de sopa de farinha integral
20 min 180º

Comece por preparar um tabuleiro próprio para ir ao forno com um fio de azeite no fundo. 


Corte as courgettes com uma espessura de 3/5 milímetros para que coza com alguma rapidez e uniforme. Vá montando alternadamente a courgette com as fatias finas de presunto até os ingredientes acabarem, finalize com pimenta e mostarda em grão e reserve.


Numa pequena caçarola leve ao lume todos os ingredientes do molho bechamel, excepto a farinha. O leite, a casca do limão, a 1/4 colher de sopa da mostarda, a noz-moscada ralada na hora e uma pitada de sal (Nota: não coloque demasiado sal porque o presunto ajuda a salgar o prato) e leve ao lume até ferver. Assim que ferva, coloque em lume baixo e adicione a farinha,  sem deixar de mexer com uma vara de arame, até o molho ficar com a consistência desejada.


Retire o bechamel do lume e regue a lasanha com o mesmo, polvilhe com o cebolinho, mais umas gotas de azeite e leve ao forno a 180º durante 20/30 minutos ou até estar bem cozida.